Stacks Image 89

O joelho é a maior articulação do corpo humano, e devido a sua posição anatômica, está exposto tanto a lesões por impactos diretos (contusões, fraturas), quando a lesões por ação de forças indiretas (torções). As lesões causadas por torções são conhecidas como entorses do joelho, e atingem os ligamentos, que são estruturas fibrosas bastante resistentes e responsáveis por manter o joelho firme (estável) durante a prática esportiva.
O joelho possuí quatro ligamentos principais, cada um responsável por impedir o movimento excessivo em uma direção particular . Quando uma força excessiva supera a resistência do ligamento, ele pode se romper parcial ou totalmente. Neste último caso, o joelho fica frouxo e muitas vezes necessita de tratamento cirúrgico para sua recuperação.

Para que o joelho mantenha-se estável, ele depende dos estabilizadores estáticos, que são os ligamentos, e dos estabilizadores dinâmicos, que são os músculos da coxa e perna. Estes últimos são fundamentais, pois quando sofremos uma torção, imediatamente estes músculos se contraem, impedindo uma torção excessiva que possa romper os ligamentos. Quem está com a musculatura fraca faz com que a força da torção descarregue-se totalmente sobre os ligamentos, que podem não suportá-la e romper-se. Observe portanto a importância de conservarmos nossa musculatura forte e bem condicionada.

Outra causa freqüente de lesões é a falta de alongamentos musculares. Quando não fazemos alongamentos os músculos trabalham tensos a as articulações pressionadas, predispondo tanto a roturas musculares quando a desgaste nas articulações. A realização de alongamentos é fundamental, portanto, e deve idealmente ser realizada antes e depois de toda prática esportiva. Várias atividades físicas atualmente recomendadas nas academias, como yoga, pilates e isostretching, dão grande ênfase aos alongamentos musculares.

O excesso de exercícios, acima da capacidade física de cada indivíduo, também é um grande vilão causador de lesões e dores nas articulações, principalmente coluna, quadril e joelhos, que são articulações que suportam todo peso e impactos repetitivos, principalmente nas atividades que exigem saltos freqüentes, como voleibol e basquete. Por isso, é muito importante estabelecer um rotina de exercícios sem sobrecarga e onde seja reservado espaço para o descanso dos músculos e articulações, para que estes possam se recuperar sem lesões. Este programa é chamado periodização do exercício e em geral é desenvolvido pelos personal-trainers e educadores físicos.

As pessoas que estão acima do peso devem realizar atividades de baixo impacto, como caminhadas, natação e hidroginástica, antes de iniciar atividades de impacto como as corridas. Cada passo dado durante a corrida faz os joelhos suportarem cerca de três a seis vezes o peso corporal. Portanto, quem quer correr deve estar com um peso mais adequado e com boa musculatura nas coxas e pernas, para distribuir melhor os impactos sofridos pela articulação.
Um erro comum é ter pressa em perder peso e correr com peso excessivo e sem musculatura, sobrecarregando os joelhos e causando desgaste precoce das suas cartilagens.

Assim sendo, toda atividade física e principalmente as coletivas, como futebol, basquete, voleibol, requer preparo físico prévio, o que inclui:

1. Treino aeróbico (capacidade cardiovascular)
2. Fortalecimento muscular
3. Alongamentos

  • Peso corporal adequado


A maioria das pessoas que sofrem lesões durante a prática esportiva são os chamados “atletas de final de semana”, que em geral são profissionais liberais, trabalhadores de escritório, etc, que não fazem as atividades físicas preparatórias descritas acima e querem jogar nos fins de semana acima de sua capacidade, sentindo-se verdadeiros jogadores profissionais quando entram em campo.

Lembre-se: A realização da atividade física coletiva sem preparação prévia não é suficiente para um condicionamento adequado e para prevenir lesões !!!

Quem está sedentário e quer começar a realizar atividades físicas deve fazer uma avaliação pré-participação completa, o que inclui consulta com médicos cardiologista e ortopedista, avaliação nutricional e acompanhamento posterior com um profissional da área esportiva, como educadores físicos, fisiologista do esporte e personal-trainers.
Desta forma, afastam-se riscos para a saúde cardiovascular e musculoesquelética, e se estabelece um programa individual de treinamento, levando em conta a idade, nível de condicionamento e objetivos pessoais.


PARA QUEM QUER SABER MAIS, ACESSAR OS SITES ABAIXO: