Buscar
  • Carlos Vaz

Como contribuir para uma cirurgia mais segura

Atualizado: Jan 5


Como melhorar a segurança em uma cirurgia? A resposta para essa pergunta depende de muitos fatores, mas os três principais são: cirurgião, hospital e materiais/implantes.


1) Quem é o médico que vai fazer a sua cirurgia? Ele é especialista? Qual é a sua experiência? Você já consultou no site do CRM o nome do seu médico? O currículo dele é diferenciado? É um médico que se mantém atualizado?


Sabemos que na maioria das profissões uma formação qualificada depende do nível da instituição onde o profissional concluiu seus estudos. Nos últimos anos foram abertas inúmeras escolas médicas no Brasil, chegando a ultrapassar os EUA. Infelizmente, muitas deixam a desejar na qualidade do ensino, faltando até mesmo hospitais-escolas próprios, onde os alunos possam fazer seu treinamento. Conhecer a formação do seu médico e sua experiência é um pilar fundamental para a escolha do mesmo, principalmente quando será necessário cirurgia.


2) Em qual hospital a cirurgia será realizada? É um hospital de referência? É um hospital que tem os melhores recursos e tecnologias para a sua cirurgia, inclusive contando com UTI completa, atualizada e equipada? É um hospital mais focado em cirurgias eletivas? A hotelaria do hospital é diferenciada, com ambiente confortável e seguro?


Escolher um Hospital com boa referência é o segundo pilar para uma cirurgia segura e de

sucesso. Hospital gerais, que atendem todos os tipos de enfermidades, tem pronto-socorro com número expressivo de atendimentos, atendem urgências e emergências e vivem lotados, podem não ser a melhor escolha, pois o ambiente tende a ser menos humanizado e há um tendência de maiores riscos, inclusive maior taxa de infecções hospitalares. Por outro lado, hospitais pequenos ou clínicas mais simples podem não contar com toda a segurança necessária, quando se fala em cirurgia.


3) Quais são os materiais e implantes que serão usados na sua cirurgia? São materiais importados e de última geração?


Infelizmente, quando se fala em materiais/implantes, ainda há um abismo de qualidade entre a maioria dos nacionais com relação aos importados. Usar materiais/implantes de qualidade inferior, que costumam custar menos, dificulta a cirurgia e podem causar problemas futuros, como a "rejeição" do material.


Médicos especialistas e experientes costumam fazer cirurgias em hospitais com qualidade reconhecida e usando os melhores materiais e implantes, pois, como vimos, isso implicará em melhores resultados e maior satisfação dos pacientes.



ALGUMAS RECOMENDAÇÕES PARA VOCÊ FAZER SUA ESCOLHA:

CIRURGIA NÃO CUSTA BARATO


Uma cirurgia não custa barato. Existem cirurgias mais caras e menos caras, mas

dificilmente uma cirurgia custa barato. Existem muitos custos associados, na maioria das vezes desconhecidos dos pacientes. Exames, taxa de uso do equipamento de anestesia, anestesista, medicamentos, cirurgião principal e cirurgiões auxiliares, instrumentadores cirúrgicos, enfermeiros, técnicos, esterilizações, taxa de utilização

da sala de cirurgia, implantes cirúrgicos, taxa de utilização da sala de recuperação, materiais e instrumentais cirúrgicos, UTI, consultas médicas com especialistas, fisioterapia, procedimentos complementares, alimentação para o paciente e acompanhantes, oxigênio e hotelaria (limpeza e higienização, camareiras, segurança, secretárias, supervisores, telefone, internet, wi-fi, estacionamento, TV a cabo, etc.) são somente alguns itens que compõem o orçamento de uma cirurgia. Existem ainda impostos que o governo cobra. E tudo isso tem um custo.


Por esse motivo é que devemos desconfiar quando o valor de um orçamento é muito baixo.


Os custos de uma cirurgia de joelho também costumam aumentar com a complexidade do procedimento. Uma ARTROPLASTIA de joelho é mais cara do que uma cirurgia para reconstrução do LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR ou uma ARTROSCOPIA para o tratamento de uma lesão de MENISCO.

ORÇAMENTO

Durante a consulta médica o especialista vai examinar o joelho e analisar os exames para fazer o diagnóstico de qual é o problema e o melhor tratamento. Se for indicada uma cirurgia o médico solicitará ao hospital que seja feito um orçamento. Ele indicará que tipo de cirurgia irá fazer, qual a duração da cirurgia, quanto tempo de internação, quais os materiais, medicamentos e implantes serão usados, entre outras coisas. Como cada caso tem as suas particularidades, o custo de uma mesma cirurgia pode ser diferente de paciente para paciente.

O MELHOR CUSTA MAIS CARO

Normalmente as cirurgias com os melhores especialistas, usando os melhores materiais, nos melhores hospitais, têm um custo maior.

CUIDADO COM O PREÇO BAIXO

Orientamos os pacientes para que tomem cuidado com a armadilha do preço baixo na Medicina. Como vimos, na área médica não tem como o mais barato ser o melhor.

Sua saúde é seu bem maior.

MÉDICO ESPECIALISTA

Escolha um médico especialista para a sua cirurgia. Os procedimentos cirúrgicos atuais exigem técnicas e conhecimentos que somente um médico especialista, treinado durante anos, tem. Escolher um bom médico especialista é a primeira e mais importante decisão que o paciente deve fazer.

HOSPITAL

Escolha para sua cirurgia um bom hospital, de preferência especializado em cirurgias eletivas, onde geralmente existem protocolos e seus procedimentos seguem os mais altos padrões para a segurança dos pacientes. Evite cirurgias em clínicas ou, pior ainda, no próprio consultório. Escolher um bom hospital para ser operado é a segunda decisão mais importante que o paciente deve fazer.

20 visualizações0 comentário